Bloggers Bleggers Blum!

Tem dias que eu tô bloggers daí aparece uns bleggers e eu fico blum mesmo!

Adaptação escolar




escola

Não é fácil deixar o seu filho na escola pela primeira vez. Nem na primeira semana. Mas, acredite: quem mais precisa se adaptar somos nós, pais. As crianças, nem tanto. Mas vou dar aqui algumas dicas de como amenizar a situação e tirar de letra a adaptação escolar.

Seu filho está preparado para ir para a escola?
Acredite: isso faz muita diferença!
Se não for bebezinho, você precisa ter certeza que seu filho está pronto para ir para a escola. Se ele for tão apegado à você, que não é capaz nem de tomar água sozinho, pode ser que ainda não seja o momento ideal. Não por causa dele, mas por causa de você. Reflita: ele não toma água sozinho porque não tem coordenação motora ainda, ou porque você faz tudo por ele e adora dar água na boquinha? Fazer tudo pela criança não é muito saudável. E é difícil para nós, mães, aceitarmos isso. Num dia está na nossa barriga e no outro já está andando, falando, querendo fazer tudo sozinho. E nós não podemos e nem devemos impedir as conquistas dos pequenos.
Então, antes de decidir colocar seu filho em uma escolinha, observe se ele está pronto. Se ele é capaz de fazer pequenas coisas sozinho, como beber e pedir água, comer uma bolacha sozinho, se ele se interessa em interagir com outras crianças. Leve-o com uma certa frequência a um parquinho. Veja se ele se interessa em brincar com outras crianças. Procure fazer com que ele não dependa tanto de você, mas mostre que você sempre estará ali para ele.

Leve-o com você para conhecer as escolas
Não matricule seu filho na primeira escola, mesmo que ela tenha sido muito bem indicada, ou tenha um nome famoso na sua cidade/bairro. Nem sempre a escola que é boa para uma criança, será para todas. Lembre-se que é o primeiro contato do seu filho com uma escola, e muito do que ele levar para a vida sobre estudar, virá desta experiência. Visite várias escolas, leve-o com você. Converse com ele o tempo todo: “olha que lugar legal, filho! Olha quantas crianças! Você não quer vir estudar aqui? Vai ser tão legal! Você vai fazer tantos amiguinhos, brincar e se divertir muito!”. Faça sempre comentários positivos e ressalte o quanto as crianças estão felizes naquele lugar, e que ele também será muito feliz ali. Aproveite para absorver essa informação você também: ELE SERÁ FELIZ ALI. Vá se acostumando com a ideia de que ele irá para a escola.

Meio período ou período integral?
Se você não trabalha, ou trabalha meio período, minha sugestão é colocar seu filho meio apenas período na escola. Se você não trabalha e não tem necessidade extrema que eu filho vá para a escola, sugiro também não colocá-lo muito bebê, pois ele ainda possui vínculos muito fortes com a mãe e a imunidade é muito baixa. Porém, isso varia muito de criança para criança. Tem bebê que não fica doente, e tem criança de 3 anos de idade que pega tudo que se pode imaginar.
Se o seu filho ainda não fala, evite que ele almoce na escola. Toda a rotina da criança vem descrita na agenda: se comeu, o que comeu, o quanto comeu, se fez xixi, se fez cocô, quantas vezes houve troca de fralda… Mas nem sempre dá pra confiar em tudo o que é marcado. Na primeira escola que meu filho estudou, sempre vinha marcado que ele comia super bem: 3 pratos. Mas a grande perda de peso, as doenças constantes e o comportamento dele, indicavam outra coisa. Depois que ele saiu da escola, conversando com o pai de um coleguinha dele, ele comentou que na agenda sempre vinha marcado que o filho dele comia muito bem, sempre repetia o prato. Porém, ao perguntar pro filho diariamente, ele contava que às vezes não comia, e na agenda vinha escrito que ele havia comido e repetido. Isso foi, inclusive, alvo de reclamação desse pai na escola. Este fato confirmou minhas suspeitas e, por isso, decidi que na próxima escola que meu filho estudaria, não estaria incluso almoço.

Converse muito com seu filho
Principalmente algumas semanas antes do início das aulas. Diga que logo ele irá pra escola, que vai ser muito legal, que ele irá fazer muitos amigos e irá se divertir bastante.
Explique que vai ter a tia na escola, que ele deve obedecer a tia, não bater nos coleguinhas, mas sempre de forma positiva, destacando o quanto é gostoso estudar.

Deixe ele ajudar a escolher o material
Quando for comprar o material, leve-o junto com você. Esta é uma oportunidade muita boa de, não só incentivá-lo ao processo escolar, mas também a ter as primeiras noções de economia. Separe de 2 a 3 tipos do item que precisa ser comprado, que caiba no seu orçamento e deixe-o escolher. Quando fomos comprar a mochila do meu filho, é claro que ele queria as mais caras, pois era de personagens que ele conhecia. Ele não tem noção de valor, de que as coisas custam dinheiro, nem o que é dinheiro, mas eu aproveitei o momento para dizer que aquilo era caro e que a mamãe e o papai não tinham como pagar. Peguei 3 mochilas de cores diferentes que tinham preço bom e deixei que ele escolhesse qual delas ele queria. Isso faz a criança se sentir valorizada e respeitada. Explique para que serve a mochila, sempre ressaltando de forma positiva a escola.

A véspera do primeiro dia de aula
Explique para ele o que irá acontecer no dia seguinte. Fale que ele precisa dormir bem, pra estar bem descansado, pois no dia seguinte ele irá brincar bastante e se divertir muito. Convide-o para arrumar a mochila com você. Explique para que serve cada item da mochila. Mas procure não deixá-lo muito ansioso. Aja de forma natural, por mais que você esteja com aquela vontade louca de chorar e já sentindo saudade dele antes mesmo dele ir pra escola.

O primeiro dia
É importante que você se controle e que ele não perceba seu nervosismo. É normal que ele chore. Contenha-se e converse com ele que é só por algumas horas, que logo você irá buscá-lo. Normalmente as escolas têm uma pessoa que cuida da adaptação dos novos alunos. Lembre-se que é normal que ele fique um pouco assustado, pois além da situação ser nova para ele, num ambiente novo, estranho, com pessoas estranhas, e de ter que ficar separado de você, mesmo que ele esteja seguro e confiante, se tiver outras crianças chorando, ele pode ficar assustado. Então, pode ser que ele não chore nos primeiros dias, mas depois de ver outras crianças chorando, ele comece a chorar também. Por isso é muito importante que você converse com seu filho, ressaltando que você entende que ele esteja se sentindo desta forma, mas que você irá buscá-lo logo, que ele irá se divertir tanto, que nem sentirá a hora passar.
Converse com a escola sobre a política de adaptação. Algumas adotam o sistema de 2 horas por 2 dias, antes da criança ficar as horas integrais do período. Se não houver política nenhuma, aconselho a deixar 2 horas nos 2 primeiros dias, 3 horas no terceiro dia e depois já deixa as 4 horas normais do período.

Pergunte como foi
Mesmo que seu filho ainda não fale direito, todos os dias que ele sair da escola, pergunte como foi: se ele se divertiu, se ele tomou o lanchinho, se ele obedeceu a tia, se ele brincou fastante, se fez novos amiguinhos… Mostre-se interessada em saber como foi o dia dele. Explique que “amanhã terá mais”. Normalmente toda sexta feira é o dia do brinquedo. Com o tempo ele irá compreender que depois desse dia haverá 2 dias sem aula (final de semana). E assim, cada dia que terá uma tarefa diferente será fácil para ele entender os dias da semana: segunda feira – artes, terça feira – música, quarta feria – livro, e assim por diante.

Faça parte das atividades
Faça com ele as lições de casa. Peça pra ele te ensinar depois como que faz essa lição, ou até mesmo que ele conte a história de um livro pra você, mesmo que seja do jeito dele. Incentive-o a desenhar. Em casa eu fiz um varalzinho, onde deixo pendurado os desenhos mais legais do meu filho. Faça muitos elogios. Diga o quanto você está feliz por ele estar indo na escola. Recomende sempre que ele obedeça a tia e não bata nos amiguinhos. Ensine-o a lidar com as diferentes personalidades das crianças: “se o seu amiguinho te bater, não bate de volta: segure a mão dele e diga: NÃO. Se o amiguinho continuar batendo, chame a tia”.
Participe de todas as reuniões, atividades e eventos que a escola propuser. Ou pelo menos o máximo que você puder. E mostre para o seu filho que você também se interessa pela escola, que você também gosta de estudar.

Minha experiência
Quando meu filho começou a ir pra escolinha este ano, foi como se eu tivesse voltado para a escola também.
Todos esses passos que descrevi aqui, foi o que fiz com meu filho.
Ele não teve nenhum tipo de problema de adaptação.
Ele teve que sair da primeira escola, pois ficou muito doente, e a pediatra nos recomendou tirá-lo e só colocá-lo novamente no ano que vem, quando ele completará 3 anos, a menos que encontrássemos uma escola mais arejada e menos populosa.
De janeiro a começo de maio ele ficou na primeira escola. Em agosto ele começou na segunda e foi muito, muito bem!
Hoje ele é uma outra criança!
Não me arrependo de tê-lo colocado na escolinha com 2 anos, e não me arrependo de todo esse processo de adaptação que fiz com ele.
Por isso decidi compartilhar como fiz, para que possa ajudar outras mães a também passarem de forma tranquila por esta fase tão importante para nós e nossos pequenos.

Se você ficou com alguma dúvida, ou quiser me fazer alguma pergunta, clique aqui e me envie uma mensagem, que responderei com o maior prazer!

RSS 2.0 | Trackback | Comentar

Comentarios desabilitados.